sexta-feira, 25 de novembro de 2011

JÁ CHEGOU O NOVO CARRO PARA O GOVERNO: 140 MIL EUROS


Já chegou o carro dos 140 mil euros! É lindo! E DIZEM QUE NÃO HÁ DINHEIRO

QUE LINDO EXEMPLO ! O tal carro novo que compraram para as obrigações protocolares.

E anda esta corja a impor tantos sacrifícios a quem já não pode mais, para isto... Estes gajos não tem vergonha na cara! Que lindo exemplo!!!

Depois da ressaca das novas medidas de austeridade que vêm aí ,os nossos governantes pedem poupança contenção e que façamos mais uma vez sacríficos ...
Nem deixam assentar a poeira, adquirem de rajada uma viatura para convidados do Estado. Um Mercedes S450CDI no valor de 140.876 euros . A explicação dada, foi pelo custo de manutenção da anterior viatura e obrigações protocolares.

Um cidadão normal que tenha um carro antigo e a precisar de uma revisão geral o que faz? Não brinquem connosco. Se não temos dinheiro e estamos em restrições alugue-se um carro por uns dias ou compre-se um carro híbrido e mais em conta. Receber com dignidade não é o mesmo que sumptuosidade.

É uma vergonha! Depois queixem-se , o povo - «o povo é sereno» - tem que acordar para isto e muito mais. Esta noticia veio a lume, mas haverá outras peripécias que não se sabem. Definitivamente o exemplo não vem de cima e assim não vamos lá.


O Presidente da República deveria inviabilizar esta compra. Devido à cimeira da NATO compramos carros, e por outro lado são estes senhores europeus que nos mandam apertar o cinto. Um verdadeiro paradoxo...

Não seria vergonha nenhuma pedir um carro emprestado à Europa para as nossas obrigações protocolares.

Que dirão a maioria dos portugueses que gostariam de trocar de carro e não têm possibilidades para isso. Não há dinheiro não há gastos.


Este episódio mostra a nossa cultura permissiva - «quanto mais me bates mais gosto de ti» - mas que deve ser denunciada e condenada

DIVULGUEM. E REVOLTEM-SE.

FADO-DULCE PONTES-CANÇÃO DO MAR

O NASCIMENTO DA GIRAFA



http://manneli.com/movies/Nature/Giraffe-Birth.html

JUSTIÇA POPULAR



Justiça, no Bairro Palanca (Luanda)


Os gatunos são obrigados a devolver o bem furtado, completamente nus, e vão levando umas vergastadas pelo caminho;

...Interessante imaginar o que seria um cortejo de certos políticos, PORTUGUESES E NÃO SÓ, nus, fazendo a devolução dos bens roubados ao contribuinte...

EM LISBOA, A PRAÇA DO COMÉRCIO SERIA PEQUENA!

PORTUGUESES DE PRIMEIRA E DE SEGUNDA

Ler com atenção porque parece que afinal existem
dois países completamente diferentes…

Diário da República, 2.ª série — N.º 217 — 11 de Novembro de 2011

Gabinete do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

Despacho n.º 15296/2011
Nos termos e ao abrigo do artigo 11.º do Decreto -Lei n.º 262/88, de
23 de Julho, nomeio o mestre João Pedro Martins Santos, do Centro de
Estudos Fiscais, para exercer funções de assessoria no meu Gabinete,
em regime de comissão de serviço, através do acordo de cedência de
interesse público, auferindo como remuneração mensal, pelo serviço de
origem, a que lhe é devida em razão da categoria que detém, acrescida
de dois mil euros por mês, diferença essa a suportar pelo orçamento do
meu Gabinete, com direito à percepção dos subsídios de férias e de Natal.
O presente despacho produz efeitos a partir de 1 de Setembro de 2011.
9 de Setembro de 2011. — O Secretário de Estado dos Assuntos
Fiscais, Paulo de Faria Lince Núncio.
205324505

A GREVE GERAL EM PORTUGAL

O Governo tentou desdramatizar a greve geral, mas esta acabou por fazer crescer a tensão social e política. Houve incidentes à porta do Parlamento - com sete detidos e dois feridos -, vários pontos de tensão entre piquetes e as forças policiais, até 'cocktails' Molotov atirados a repartições de finanças. Agora, a UGT e a CGTP exigem diálogo. O primeiro teste é a Concertação Social de 2.ª-feira. Tema: aumento do horário de trabalho.

A greve não chegou ao conflito aberto de Atenas, mas não se ficou pela habitual contestação pacífica. E nem a habitual guerra de números se evitou, apesar da tentativa inicial do Executivo.

Piquetes de greve afastados à força pela PSP, linhas de comboio só retomadas após intervenção da GNR, cocktails Molotov atirados a três repartições de finanças, tensão alta junto ao Parlamento com o derrube da barreira de segurança, sete detidos e dois feridos. A terceira greve geral, decorrida ontem, não foi como as anteriores. E acabou por acentuar a tensão social e política - em vez de servir para a abrandar.

Apesar dos primeiros incidentes, o Governo até começou o dia com um discurso apaziguador. No final do Conselho de Ministros, o ministro Miguel Relvas, braço-direito de Passos Coelho, dava a cara por uma mensagem: "A greve não é uma guerra de números", disse, a par da tradicional mensagem de compreensão face à greve e de convicção de que este rumo - o do Governo - é o único possível ("não há outro caminho").

Leia mais pormenores no e-paper do DN

NÃO HÁ MANEIRA DE METER ISTO NO PIB?

Não há maneira de meter isto no PIB?
por FERREIRA FERNANDES

Deslumbro-me com o álbum 'Portugal', de Cyril Pedrosa, que ganhou um dos maiores prémios da banda desenhada francesa. Neto de emigrantes dos anos 30, ainda a França era destino raro para portugueses, Pedrosa fez um romance autobiográfico com desenhos. Nas suas digressões (está agora no Brasil - onde é apresentado como um grande da banda desenhada mundial), Pedrosa diz que 'Portugal' nasceu do descobrir-se português. Esse facto foi uma mancha difusa na sua vida, mas tão funda que nunca deixou de o acompanhar (ele tem 39 anos). A 2.ª geração dos Pedrosa (o pai e os tios do artista) já têm os nomes próprios franceses (no álbum: Jean, Jacques e Yvette), e a 3.ª, como Cyril, não fala português. É uma constante dos emigrantes portugueses - em França, mas também nos Estados Unidos, no Brasil, na África do Sul... -, a reacção comum é desaparecerem na paisagem: os seus filhos serão, antes do mais, filhos da terra (como o eram também nas colónias africanas). De tantas qualidades que se emprestam aos nossos emigrantes raramente se fala desta: eles dão cidadãos aos países para onde vão, atentos à nova cultura, não formam bolsas enquistadas de eternos estrangeiros. E, apesar disso, com uma saudade que nem sabe pronunciar a palavra - eis o que vem desenhado no álbum 'Portugal'. Andarmos nisto há séculos deu-nos uma noção de globalização "avant la lettre", diria Pedrosa. Não haverá maneira de tirarmos partido disto? De meter no nosso PIB?

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

JOSÉ AFONSO - ELES COMEM TUDO!

GREVE GERAL - OS PRIMEIROS AVISOS DO DESESPERO DOS PORTUGUESES

Repartições de Finanças vandalizadas em Lisboa


Três repartições de Finanças vandalizadas esta manhã em Lisboa, duas delas com “cocktail molotov” e uma terceira com uma lata de tinta.
Em Benfica, na rua Amélia Rey Colaço, e no Campo Grande, na avenida do Centro Cultural, as repartições de finanças poucos estragos sofreram apesar de terem sido lançados “cocktail molotov” contra as suas fachadas, enquanto uma terceira, na avenida General Roçadas foi atingida com uma lata de tinta que acabou por partir o vidro da porta principal.

Logo pela manhã a polícia de intervenção da PSP foi chamado às instalações da Carris, na Musgueira, onde o piquete de greve tentava impedir a saída de autocarros com a colocação de elementos sentados no chão junto á entrada da estação de autocarros.

A polícia foi chamada e após uma conversa com cada um dos elementos do piquete de greve que se encontravam a impedir a saída dos autocarros a situação foi resolvida sem a necessidade de utilização da força.

Mas a noite já tinha começado agitada com o início da greve geral quando mais de duas dezenas de elementos do piquete de greve nas oficinas municipais de Oeiras impediram a saída de alguns carros de recolha do lixo.

Já na Maternidade Alfredo da Costa o piquete de greve foi barrado pelo segurança de serviço, que alegou cumprir ordens da administração, e assim impedido de entrar nas instalações onde pretendia registar as adesões e zelar pelo cumprimento dos serviços mínimos.

O mesmo aconteceu nas instalações da Renault onde a administração também impediu o piquete de greve de entrar recorrendo à Guarda Nacional Republicana para travar a intenção dos grevistas à entrada da fábrica.

A Guarda Nacional Republicana foi ainda chamada a intervir em dois casos em que populares cortaram a circulação dos comboios, em Lamarosa, perto de Torres Novas, e na linha de Sintra, como protesto pela circulação ferroviária acontecer em dia de greve geral.

Em nenhum destes casos foi necessário recorrer à força já que os manifestantes se retiraram da linha logo após a chegada das forças policiais.

MEE - O NOVO DITADOR * SERÁ ESTA A EUROPA QUE QUEREMOS?

MEE NOVO DITADOR EUROPEU !!
URGENTE......MEE NOVO DITADOR EUROPEU
A Europa ao que tudo indica está num processo irreversível...
Os acontecimentos estão por demais acelerados.
Vejam:
 
http://resistir.info/europa/novo_ditador_europeu.htm

A HISTÓRIA DAS RELIGIÕES EM 90 SEGUNDOS


Em noventa segundos...uma breve história das religiões! E, já agora, para onde vamos?‏


http://mapsofwar.com/images/Religion.swf

EPISÓDIOS DA JUSTIÇA PORTUGUESA NUM SÓ DIA

EPISÓDIOS DA JUSTIÇA PORTUGUESA
A Ministra da Justiça diz que os portugueses têm razões para não confiar na Justiça e confirma a existência de um clima de impunidade que - ela não o disse, mas é óbvio - favorece os ricos e não aproveita aos pobres.
O Marinho Pinto diz que o Ministério da Justiça foi entregue a um escritório de advogados e, além disso, acusa a Ministra de nepotismo. A Ministra defende-se, alegando falsidade, diz que Marinho lhe inventou um cunhado, mas fica-se por aí. É a Praça da Ribeira no seu melhor…
O Procurador Geral da República não gostou nada que os jornalistas estivessem à espera das diligências da Judiciária na casa do Sr. dr. Duarte Lima, nem do modo como a comunicação social estava a tratar o caso. Mas não revelou nenhuma preocupação pelo facto de o suspeito ter sido previamente avisado do que lhe ia acontecer, nem tão-pouco se mostrou minimamente incomodado com as acusações da Justiça brasileira. Não sabe de nada. À Procuradoria ainda não chegou nada. No ouvinte fica a ideia de que essa coisa de o Duarte Lima ser acusado de homicídio no Brasil é lá uma coisa deles, dos brasileiros.
Germano Marques da Silva, advogado de Duarte Lima, e ao que se diz professor de Direito Penal na Católica – uma universidade que preza os “valores”, ou não fosse ela uma emanação quase divina do saber celestial – diz que “Só se o Duarte Lima fosse parvo é que se apresentaria no Brasil”!
Mas há mais. Um outro advogado de Duarte Lima, agora no suspeito caso de burla, branqueamento de capitais, fraude fiscal e sabe-se lá que mais do BPN, protesta contra a prisão preventiva do seu cliente decretada com fundamento em receio de fuga…porque o seu cliente é um foragido! Tal e qual. "Receio de fuga"? Responde, perguntando o advogado. "Só se Duarte Lima fosse tolo se ausentaria de Portugal, havendo o que se conhece com a Justiça brasileira".
Pois é, isto atingiu o grau zero da pouca-vergonha. O grande défice português não é o das contas públicas. O défice das contas públicas não passa de um pequeno afloramento de um outro défice muito maior e mais grave!

UMA GREVE PECULIAR



Na Sinfonia do Adeus de Haydn, os músicos vão saindo do palco um a um. A estreia, em 1772, funcionou como um protesto contra màs condições de trabalho. Uma "greve" peculiar. Ver mesmo até ao fim" Igor Gruppman conducts the Mariinsky Theatre Orchestra in Haydn's "Farewell" Symphony, No. 45, 4th mvt!


Além da criatividade, do momento musical e da intervenção, o jametinhasdito de júbilo vai para o respeito e o cuidado de todos os músicos, maestro incluído, em sair sem perturbar a obra nem os que prosseguem o seu trabalho e os legítimos direitos e expectativas de quem está a usufruir!!


Bom trabalho e boa greve!!!

(IN BLOGUE DITOS)

ACTUALIDADE DA POESIA POPULAR

 Adequado ao momento político que estamos a "gramar"



ANTÓNIO ALEIXO
Acho uma moral ruim
trazer o vulgo enganado:
mandarem fazer assim
e eles fazerem assado.

Sou um dos membros malditos
dessa falsa sociedade
que, baseada nos mitos,
pode roubar à vontade.

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das tuas promessas
ganhando o pão que tu comes.

Não me dêem mais desgostos
porque sei raciocinar...
Só os burros estão dispostos
a sofrer sem protestar!
Esta mascarada enorme
com que o mundo nos aldraba,
dura enquanto o povo dorme,
quando ele acordar, acaba.

HOMENAGEM A TITINA - A CANTORA DE CABO-VERDE

O HOMEM DE COR

Carta de um escritor africano anónimo
Meu irmão branco,
Quando nasci, eu era negro.
Quando cresci, eu era negro.
Quando apanho sol, eu fico negro.
Quando estou com frio, eu fico negro.
Quando estou com medo, eu fico negro.
Quando estou doente, eu fico negro.
Quando eu perco a coragem, eu fico negro.
Quando morrer, eu ficarei negro.
E você, homem branco,
Quando nasceu, era rosa.
Quando cresceu, era branco.
Quando apanha sol, fica vermelho.
Quando tem frio, fica roxo.
Quando está com medo, fica branco.
Quando está doente, fica verde.
Quando perde a coragem, fica amarelo.
Quando morrer, ficará cinzento.
Depois de tudo isto, homem branco, você ainda
tem a lata de me chamar homem de côr?

INDONÉSIA - JAKARTA - TAMBWE-A UNHA DO LEÃO

COMENTÁRIO DE UM PORTUGUÊS EM JAKARTA (INDONÉSIA) SOBRE O ROMANCE TAMBWE-A UNHA DO LEÃO.






“Tambwe a Unha do Leão” – Conta a história de Eugénio, um inadaptado ao Ocidente actual, que, graças ao dom/maldição de ser capaz de pensar, tem tanta dificuldade em aceitar a sua realidade como em se manter visível e material.
O livro começa de forma abrupta e violenta. Eugénio toma a decisão de encontrar a morte antes que ela o encontre e acabar assim com o seu permanente enjoo, fruto da falta de significado da sua existência. Será esta a escolha que irá pautar toda a acção.
Partimos, então, para uma jornada que oscila através de diversos espaços, tempos e misticismos que acompanham Eugénio ao longo da sua vida, o transformam e nos dão a conhecer o mundo através dos olhos do personagem. Mundo corrompido pelo próprio Ser Humano e pelas suas criações. O personagem anseia por um lugar mais simples e puro, com tempo para o Homem e os Idealismos. Um mundo onde caibam os misticismos e as culturas de humanismo, em oposição à frieza da tecnologia, à crueldade financeira e à violência da guerra.
Durante a jornada, o autor transporta-nos, numa escrita envolvente e intensa, por vários lugares e profundos personagens. Cada personagem, carrega simbologias próprias e representativas das facetas do Homem, desde a ganância de generais Angolanos, aos traiçoeiros e cínicos mercenários Franceses, à Integridade de soldados soviéticos, mas também a capacidade de sonhar implícita na relação que mantém com a amante Afrodite.
Por fim, Eugénio encontra o que procurava. A paz. Consegue livrar-se dos seus tormentos e viajar para um lugar melhor. Para onde e como, depende do leitor.
Tambwe é um livro sobre o estranho Eugénio, criatura pensante e permanentemente insatisfeita. Insatisfação que o leva a auto-destruir-se em busca de uma realidade perdida. É também um livro sobre a Questão. Livro sobre o eterno porquê e incompreensível significado da vida e da realidade com que nos confrontamos. Livro que questiona e que nos leva a questionar realidades, dogmas e futuros.
Jakarta-Henrique Castro 23-11-2011

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

TAMBWE-A UNHA DO LEÃO, UM ROMANCE DO REALISMO FANTÁSTICO

CONVITE AOS SEGUIDORES DESTE BLOGUE:

LEIAM "TAMBWE - A UNHA DO LEÃO"

E PROMOVAM-NO JUNTO DOS VOSSOS CONTACTOS E AMIGOS.

FICO ANTECIPADAMENTE GRATO.

António Oliveira e Castro


(Além de o poderem comprar nas livrarias podem encomendá-lo directamente a mim em ammhoc@hotmail.com)


ILUSTRAÇÃO DE NUNO DAVID - 6º CAPÍTULO (LEÃO DA ABISSÍNIA) DO ROMANCE "TAMBWE-A UNHA DO LEÃO"

TAMBWE - O NOVO ROMANCE DE ANTÓNIO OLIVEIRA E CASTRO
À VENDA NAS LIVRARIAS DESDE O DIA 23

OU PEÇA DIRECTAMENTE em www.gradiva.pt À EDITORA GRADIVA


NOVO ROMANCE DE ANTÓNIO OLIVEIRA E CASTRO COM ILUSTRAÇÕES DE NUNO DAVID - Um livro de leitura compulsiva.
Tambwe
www.gradiva.pt
De Lisboa a Luanda, seguindo por Paris e por bases aéreas bem guardadas na Rússia e na África do Sul, Tambwe é uma longa viagem sacudida por geografias contrastantes e pelos solavancos da descolonização e do fim da Guerra Fria. É também o percurso interior...
... Um livro de leitura compulsiva.Ver mais

www.gradiva.pt
Livraria Online da Editora Gradiva. Novidades, promoções, descontos substanciais sobre o preço de loja, entregas gratuitas em Portugal. Venda de livros através de servidor seguro para todo o Mundo. Disponíveis capítulos online para leitura

O BCP - A CGD - BERARDO E PINTO MONTEIRO

DR. PINTO MONTEIRO, olhe para BERARDO
Henrique Raposo (www.expresso.pt)
8:08 Quinta feira, 22 de setembro de 2011

O dr. PINTO MONTEIRO, esse homem fatal e atento, acha que há indícios de crime nas contas da Madeira.
Pois claro, dr. PINTO MONTEIRO. Bater no ceguinho é uma actividade digna como outra qualquer.
Mas onde andou V. Exa. quando o ex-primeiro-ministro JOSÉ SÓCRATES transformou Portugal inteiro numa opaca Madeira em tamanho XXL? Onde?
E, já agora, outra perguntinha: se há indícios de crime na Madeira, não existe nada nas contas e continhas e esqueminhas do BCP/CGD/BERARDO/VARA?
Nos nossos excelsos códigos napoleónicos, não existe uma figura, uma alínea para aplicar ao esquema entre o CGD/BCP/BERARDO/VARA? Nada?
Não sabe do que estou a falar, meu caro? Não tem mal, eu refresco-lhe a memória.
A CGD - o banco estatal português (isto é, meu e seu) e que deveria usar as escassas poupanças dos portugueses no fomento da nossa produção - gastou centenas de milhões de euros para financiar investidores privados para que estes tivessem a possibilidade de fazer uma OPA silenciosa sobre outro banco, o BCP.
Um único indivíduo, um senhor que se veste à zorro, obteve da CGD uns míseros 360 milhões de euros para comprar quase 5% do BCP. E sabe o que é notável? Este zorro da África do Sul, o JOHNNY BERARDO, deu como garantia à CGD as próprias acções que comprou. Não é um esquema notável?
Se as coisas corressem bem, o JOHNNY vendia as acções e metia o lucro no seu bolso, sem nunca arriscar um cêntimo do seu próprio dinheiro. Se tudo corresse mal, quem se lixava era a própria CGD e os contribuintes (eu e V. Exa.). Parece que a realidade optou pela segunda hipótese. Consequências deste capitalismo xico esperto? Ainda não vi nada.

Mas sabe uma coisa, meu caro Procurador? O esqueminha não acaba aqui. Uma vez dentro do BCP, BERARDO foi fundamental para a OPA agressiva ao BCP feita pela CGD.
E sabe quem foi para direcção do BCP? Pois, já adivinhou: os administradores da CGD que deram a BERARDO os 360 milhões, SANTOS FERREIRA e o omnipresente ARMANDO VARA.
Agora diga-me uma coisa: em todas as nossas leis, as mais perfeitas do mundo e arredores, não existirá uma alínea que justifique uma investigação a este caso?

FADO - CAMANÉ - SEI DUM RIO

HUMOR EM TEMPO DE CRISE

A oração do dia:
Joãozinho orando:
- Senhor todo poderoso: há 2 anos o Senhor levou meu cantor favorito Michael Jackson! O meu locutor favorito Lombard!
O meu actor preferido Patrick Swayze! Minha dançarina preferida Lacraia!
Esse ano levou a minha cantora favorita Amy Winehouse!
Quero lembrar ao Senhor que os meus políticos preferidos são:
ANGELA MERKEL, NICOLAS SARKOZY, SILVIO BERLUSCONI, CAVACO SILVA, JOSÉ SÓCRATES, PEDRO PASSOS COELHO, PAULO PORTAS...

MIKIS THEDORAKIS - O FASCISMO DE VOLTA

Se os povos da Europa não se levantarem, os bancos trarão o fascismo de volta

por Mikis Theodorakis

No momento em que a Grécia é colocada sob a tutela da Troika, que o Estado reprime as manifestações para tranquilizar os mercados e que a Europa prossegue nos salvamentos financeiros, o compositor Mikis Theodorakis apela aos gregos a combater e alerta os povos da Europa para que, ao ritmo a que as coisas vão, os bancos voltarão a implantar o fascismo no continente.

Entrevistado durante um programa político popular na Grécia, Theodorakis advertiu que, se a Grécia se submeter às exigências dos chamados ".parceiros europeus" será ".o nosso fim quer como povo quer como nação". Acusou o governo de ser apenas uma "formiga" diante desses "parceiros", enquanto o povo o considera "brutal e ofensivo". Se esta política continuar, "não poderemos sobreviver … a única solução é levantarmo-nos e combatermos".

Resistente desde a primeira hora contra a ocupação nazi e fascista, combatente republicano desde a guerra civil e torturado durante o regime dos coronéis, Theodorakis também enviou uma carta aberta aos povos da Europa , publicada em numerosos jornais… gregos. Excertos:

"O nosso combate não é apenas o da Grécia, mas aspira a uma Europa livre, independente e democrática. Não acreditem nos vossos governos quando eles alegam que o vosso dinheiro serve para ajudar a Grécia. (…) Os programas de "salvamento da Grécia" apenas ajudam os bancos estrangeiros, precisamente aqueles que, por intermédio dos políticos e dos governos a seu soldo, impuseram o modelo político que conduziu à actual crise.

Não há outra solução senão substituir o actual modelo económico europeu, concebido para gerar dívidas, e voltar a uma política de estímulo da procura e do desenvolvimento, a um proteccionismo dotado de um controlo drástico das Finanças. Se os Estados não se impuserem aos mercados, estes acabarão por engoli-los, juntamente com a democracia e todas as conquistas da civilização europeia. A democracia nasceu em Atenas, quando Sólon anulou as dívidas dos pobres para com os ricos. Não podemos autorizar hoje os bancos a destruir a democracia europeia, a extorquir as somas gigantescas que eles próprios geraram sob a forma de dívidas.

Não vos pedimos para apoiar a nossa luta por solidariedade, nem porque o nosso território foi o berço de Platão e de Aristóteles, de Péricles e de Protágoras, dos conceitos de democracia, de liberdade e da Europa. (…)

Pedimos-vos que o façam no vosso próprio interesse. Se autorizarem hoje o sacrifício das sociedades grega, irlandesa, portuguesa e espanhola no altar da dívida e dos bancos, em breve chegará a vossa vez. Não podeis prosperar no meio das ruínas das sociedades europeias. Quanto a nós, acordámos tarde mas acordámos. Construamos juntos uma Europa nova, uma Europa democrática, próspera, pacífica, digna da sua história, das suas lutas e do seu espírito. Resistamos ao totalitarismo dos mercados que ameaça desmantelar a Europa transformando-a em Terceiro Mundo, que vira os povos europeus uns contra os outros, que destrói o nosso continente, provocando o regresso do fascismo".

07/Novembro/2011

Tradução de Margarida Ferreira.

Este apelo encontra-se em http://resistir.info/ .


PORTUGAL REMUNERA VITALICIAMENTE UMA SINISTRA MATILHA DE EX-POLÍTICOS!


Tempo de minhocas e de filhos de meretriz

"O dia deu em chuvoso", escreveu Álvaro de Campos. Num tempo soturno, melancólico, deprimente. "Tempo de solidão e de incerteza / Tempo de medo e tempo de traição / Tempo de injustiça e de vileza / Tempo de negação", diria Sophia de Mello Breyner. Tempo de minhocas e de filhos da puta, digo eu. Entendendo-se a expressão como uma metáfora grosseira utilizada no sentido de maldizer alguém ou alguma coisa, acepção veiculada pelo Dicionário da Academia e assente na jurisprudência emanada dos meritíssimos juízes desembargadores do Supremo Tribunal da Justiça. Um reino de filhos da puta é assim uma excelente metáfora de um país chamado Portugal. Que remunera vitaliciamente uma "sinistra matilha" de ex-políticos, quando tudo ou quase tudo à nossa volta se desagrega a caminho de uma miséria colectiva irreversível.

Carlos Melancia, ex-governador de Macau, empresário da indústria hoteleira, personificou o primeiro julgamento por corrupção no pós 25 de Abril. Recebe, actualmente, 9500€ mensais; Dias Loureiro, um "quadrilheiro" do círculo político de Cavaco, ex-gestor da SLN, detentora do BPN, embolsa vitaliciamente 1700€ cada mês; Joaquim Ferreira do Amaral, membro actual da administração da Lusoponte com a qual negociou em nome do governo de Cavaco Silva, abicha 3000 €; Armando Vara, o amigo do sucateiro Godinho que lhe oferecia caixas de robalos e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos, enfarda nada mais nada menos que 2000€; Duarte Lima, outro dos "quadrilheiros" do círculo político cavaquista, acusado pela justiça brasileira do assassinato de uma senhora para lhe sacar uns milhões de euros, advogado na área de gestão de fortunas, alambaza-se mensalmente com 2200€; Zita Seabra, que transitou do PCP para o PSD com a desfaçatez oportunista dos vira-casacas, actual presidente da Administração da Alêtheia Editores, açambarca 3000€… E muitos, muitos outros, que os caracteres a que este espaço me obriga, me forçam a deixar de referir.

Quero, no entanto, relevar um deles – Ângelo Correia, o famoso ministro do tempo da chamada "insurreição dos pregos", actual gestor e criador de Passos Coelho que, nesta democracia de merda, chegou a primeiro-ministro "sem saber ler nem escrever"! Pois Ângelo Correia recebe 2200€ mensais de subvenção vitalícia! E valerá a pena recuperar o que disse este homem ao Correio da Manhã em 14 de Junho de 2010: "A terminologia político-sindical proclama a existência de „direitos adquiridos‟ (…) Ora, numa democracia, „adquiridos‟ são os direitos à vida, à liberdade de pensamento, acção, deslocação, escolha de profissão, organização política (…) Continuarmos a insistir em direitos adquiridos intocáveis é condenar muitos de nós a não os termos no futuro." Ora, perante a eventual supressão da acumulação da referida subvenção vitalícia com vencimentos privados, o mesmo Ângelo Correia disse à RTP em 24 de Outubro de 2011: "Os direitos que nós temos (os políticos subvencionados) são direitos adquiridos"! Querem melhor? Pois bem. Este é o paradigma do "filho da puta" criador. Porque, depois, há o "filho da puta" criatura. Chama-se Passos Coelho. Ei-lo em todo o seu esplendor, afirmando em Julho de 2010: "Nós não olhamos para as classes médias a partir dos 1000€, dizendo: aqui estão os ricos de Portugal. Que paguem a crise". E em Agosto de 2010: "É nossa convicção não fazer mais nenhum aumento de imposto. Nem directo nem encapotado. Do nosso lado, não contem para mais impostos". Em Março de 2011: "Já ouvi o primeiro-ministro (José Sócrates) a querer acabar com muitas coisas e até com o 13.º mês e isso é um disparate". Ainda em Março de 2011: "O que o país precisa para superar esta crise não é de mais austeridade". Em Junho de 2011: "Eu não quero ser o primeiro-ministro para dar emprego ao PSD. Eu não quero ser o primeiro-ministro para proteger os ricos em Portugal". Perante isto, há que dizer que pior que um "filho da puta", só um "filho da puta" aldrabão. Ora, José Sócrates era um mentiroso compulsivo. Disse-o aqui vezes sem conta. Mas fazia-o com convicção e até, reconheço, com alguma coragem. Este sacripanta de nome Coelho, não. É manhoso, sonso, cobarde. Refira-se apenas uma citação mais, proferida pelo mesmo "láparo", em Dezembro de 2010. Disse ele: "Nós não dizemos hoje uma coisa e amanhã outra (…) Nós precisamos de valorizar mais a palavra para que, quando é proferida, possamos acreditar nela". Querem melhor?




"O dia deu em chuvoso", escreveu Álvaro de Campos. É o "tempo dos coniventes sem cadastro / Tempo de silêncio e de mordaça / Tempo onde o sangue não tem rasto / Tempo de ameaça", disse Sophia. Tempo para minhocas e filhos da puta, digo eu. É o tempo do Portugal que temos.

Nota – Dada a exposição pública do jornal com esta crónica na última página, este título destina-se apenas a não ferir as sensibilidades mais puras. Ou mais púdicas.

Luís Manuel Cunha in Jornal de Barcelos de 02 de Novembro de 2011

GREVE GERAL AMANHÃ

ANGOLA - AZULEJOS RECUPERADOS


  • AZULEJOS da fortaleza de São Miguel em Luanda, já foram recuperados ( lindos, vejam)‏






  • Convite a ver … nos dois sites abaixo.
    Um testemunho de que nem tudo são desgraças em Angola, surgindo novas sensibilidades que revelam finalmente a preocupação em recuperar o património que pertence à história de todos.
    Desta feita, o precioso revestimento das paredes da fortaleza de Luanda em paineis de azulejo, com motivos diversos alusivos à vida e história de Angola.
    Reparem como alguns paineis ficaram após a onda de vandalismo que sofreram e como se apresentam depois de recuperados, realçando em toda a sua extensão a beleza do detalhe original.
    Parabéns aos responsaveis e aos artistas envolvidos!
    Para quem não sabe ou não se recorda, aqui esteve sedeado até à independência o Comando Chefe do Estado Maior das Forças Armadas de Angola e aqui foi arreada pela derradeira vez, a Bandeira de Portugal à hora última do dia 10 NOV 1975.
    Aquele abraço

    CONVITE - CONCERTO CORAL LUÍSA TODI E CORAL DE ALMENDRALEJO


    No sábado, dia 26 de Novembro, pelas 21h, no auditório da delegação do Inatel, em Setúbal, Concerto com o Coral Luísa Todi, na primeira parte, sendo a segunda parte preenchida pela actuação do Coral de Almendralejo (Espanha).
    No final do Concerto os dois Corais interpretarão em conjunto duas peças, dirigidas alternadamente pela Maestrina Gisela Sequeira e pelo Maestro Juan Bote Lavado.

    NÃO FALTE!

    Divulgue
    --
    Coral Luisa Todi
    Rua Carlos Ferreira, 15
    2900 - 025 Setúbal

    Telef/fax 265 57 21 90
    coralluisatodi@gmail.com - www.coralluisatodi.com

    terça-feira, 22 de novembro de 2011

    PROTEJA OS SEUS CARTÕES ELECTRÓNICOS

    Electronic Pickpocketing- Keep your electronic cards Safe- Proteja os seus cartões electrónicos
    It is very important to watch this!

    CONVITE - EXPOSIÇÃO DE PINTURA DE ANTÓNIO HORTEGA

    Exposição de pintura " Sem Título..." de António Hortega no Atelier Galeria Margarida de Araújo em Serpa, de 26 de Novembro a 23 de Dezembro.
    Horário: Tardes: das 14 às 20h de Quarta a Sábado.
    Noites: das 21 às 23h de Quinta a Sábado.
    António Hortega nasce em 1962. Vive no Estoril. Em 1990 abre o seu atelier. O seu percurso académico desenvolve-se na Arte e no Design no IADE, no Curso de Artes e Ofícios da Fundação Ricardo Espírito Santo Silva, na Pós Graduação de Artes Decorativas, da Universidade Católica de Lisboa, no curso de História da Arte da Faculdade de Letras e no Mestrado História da Arte Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa.
    Expôs: em 2008 na Junta de Freguesia de São João do Estoril.
    Em 2009 na Pousada de São Francisco, em Beja.


    A sua pintura imerge-o em sucessivas interrogações, leva-o a envolver-se, pela festa da cor, pela volúpia do traço, por manchas de saturações e torna-se para António Hortega um turbilhão de sensações que transmite a quem observa os seus quadros, e procura interpreta-los, atribuir-lhes um critério. É assim que a pintura que faz, consegue quebrar a indiferença, deixar sem norte e sem rede quem a questiona, provocar interpretações ambíguas e contraditórias, e possibilita leituras e representações marcadamente psico-analiticas. Através da sua arte, “Sem Título “, e com ela, António Hortega convida-nos a ver, sentir e viajar …
    Grata pela vossa divulgação
    Margarida de Araújo

    FALTAM 5 DIAS

    video

    MUSEU RTP - RÁDIO E TELEVISÃO PORTUGUESAS

    ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL !!!



    Museu RTP
    Isto é para guardar nos favoritos
    Não percam porque vale a pena
    É mesmo espectacular!

    PELA PAZ NO MUNDO

    SE OS LÍDERES RELIGIOSOS E POLÍTICOS DO MUNDO SE BEIJASSEM ASSIM, TALVEZ A PAZ  SUBSTITUISSE O ÓDIO E A JUSTIÇA FOSSE UMA REALIDADE.