quinta-feira, 12 de maio de 2011

O QUE ESTARÁ POR DETRÁS DA INTERVENÇÃO DA NATO NA LÍBIA?



O que a Comunicação Social NÃO vai mostrar

Dramático! A outra face do problema - a encoberta! E eu acredito que o Kadafi, tendo-se tornado incómodo...foi o pretexto para toda esta intervenção - quiçá accionada por cordelinhos ..."invisíveis" !!
Os meandros das Secretas ao serviço de políticos pouco transparentes e interesses muito, muito avultados - passando obviamente pelo petróleo!
Repasso!
E com muita tristeza por todas aquelas crianças sem amanhã..
E pelo criminoso procedimento de quem dirige o Mundo.
ZPS

OUTRAS INFORMAÇÕES QUE NOS FAZEM PENSAR

I - SEJA KADDAFI O BIZARRO QUE FOR, A ONU CONSTATOU EM 2007 QUE A LÍBIA TINHA:

1 - Maior Indice de Desenvolvimento Humano (IDH) da África (até hoje é maior que o do Brasil);

2 - Ensino gratuito até à Universidade;

3 - 10% dos alunos universitários estudavam na Europa, EUA, tudo pago;

4 - Ao casar, o casal recebia até 50.000 US$ para montar casa;

5 - Sistema médico gratuito, rivalizando com os europeus. Equipamentos de última geração, etc...;

6 - Empréstimos pelo banco estatal sem juros;

7 - Inaugurado em 2007, o maior sistema de irrigação do mundo, vem tornando o deserto (95% da Líbia) em fazendas produtoras de alimentos.;

II - PORQUE "DETONAR" A LÍBIA ENTÃO?....

Três principais motivos:

1 - Tomar o seu petróleo de boa qualidade e com volume superior a 45 bilhões de barris em reservas;





2 - Fazer com que todo o mar Mediterrâneo fique sob o controlo da OTAN. Só falta agora a Síria;

3 - E provavelmente o principal:

- O Banco Central Líbio não é atrelado ao sistema financeiro mundial.

- As suas reservas são toneladas de ouro, que dão respaldo ao valor da moeda, o dinar, que desta forma está resguardado das flutuações do dólar.

- O sistema financeiro internacional ficou possesso com Kaddafi, após ele propor, e quase conseguir, que os países africanos formassem uma moeda única desligada do dólar.

III - O QUE É O ATAQUE HUMANITÁRIO PARA LIVRAR O POVO LÍBIO:


1 - A OTAN comandada, como se sabe, pelos EUA, já bombardearam as principais cidades Líbias com milhares de bombas e mísseis em que um único projéctil é capaz de destruir um quarteirão inteiro. Os prédios e infra estruturas de água, esgotos, gás e luz estão sèriamente
danificados;

2 - As bombas usadas conteem DU (Uranio depletado) que tem um tempo de vida de cerca de 3 bilhões de anos (causa cancro e deformações genéticas);

3 - Metade das crianças líbias estão traumatizadas psicologicamente por causa das explosões que parecem um terramoto e racham as estruturas das casas;

4 - Com o bloqueio marítimo e aéreo da OTAN, as crianças sofrem principalmente com a falta de medicamentos e alimentos;

5 - A água já não mais é potável em boa parte do país. De novo as crianças são as mais atingidas;

6 - Cerca de 150.000 pessoas por dia, estão deixando o país através das fronteiras com a Tunísia e o Egito. Vão para o deserto ao relento, sem água nem comida;
7 - Se o bombardeio terminasse hoje, cerca de 4 milhões de pessoas estariam precisando de ajuda humanitária para sobreviver: Água e comida. De uma população de 6,5 milhões de pessoas.

Em suma: O bombardeio "humanitário", acabou com a nação líbia. Nunca mais haverá a "nação" Líbia tal como ela existia.

SIMPLES ASSIM.

Fonte : http://www.globalresearch.ca/


T-SHIRTS DA PRÓXIMA CAMPANHA PARA AS ELEIÇÕES EM PORTUGAL























É ESTE O HOMEM QUE QUER SER O PRÓXIMO MINISTRO DAS FINANÇAS DE PORTUGAL - VAMOS DE MAL PARA PIOR: Catroga e as discussões de pentelhos



QUE NIVEL! QUE VERGONHA! QUE FALTA DE RESPEITO! UM AUTÊNTICO TABERNEIRO!
ESTOU A VÊ-LO NOS DEBATES NO PARLAMENTO IRRITADO COM AS OPOSIÇÕES: VÁ PRÓ CARA....SEU MERDAS, NÃO ME IRRITE!
POR MENOS O MINISTRO PS MANUEL PINHO DEMITIU-SE. CARTROGA, SE FOR ELEITO, NÃO AQUECE O LUGAR.
O PSD EM CADA CAVADELA ENCONTRA UMA MINHOCA...FALTA DE SORTE DE PASSOS COELHO.

terça-feira, 10 de maio de 2011

1968, un mundo en convulsion Documental

ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA - Canção com Lágrimas


3º Festival Cantar Abril - Prémio Adriano Correia de Oliveira (recriação)


PARABÉNS AO ENSEMBLE VOCT PELO PRÉMIO ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA

Os Portugueses descobriram a Australia e a Nova Zelândia

Portuguese Discovered Australia and New Zealand

OPERAÇÃO ARRÁBIDA LIMPA




Bom dia,

No próximo Sábado dia 21 de Maio, o Clube Arrábida vai promover uma acção de limpeza na zona do Portinho da Arrábida que se designa Operação Arrábida Limpa. Esta acção que conta com o apoio do Parque Natural da Arrábida, Câmara Municipal de Setúbal e Administração Regional Hídrica (ARH), pretende não só limpar o lixo nos acessos, estacionamentos, floresta e algumas partes do areal desta área, mas também sensibilizar os utentes para o gravíssimo problema do lixo que cronicamente afecta aquela que foi considerada uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal.

Agradeço a vossa ajuda a divulgar este evento. Anexo comunicado e cartaz da Operação Arrábida Limpa. Para mais informações podem entrar em contacto comigo, ou consultar eventos no grupo Happy Hour de Luto pela Arrábida do Facebook.

http://www.facebook.com/group.php?gid=132456390111056&v=wall

Pedro Vieira

Clube da Arrábida

Tel: 962980149

DESENRASCANÇO PORTUGUÊS



Aprendam...


Conto, aliás, uma história que ouvi recentemente. Um cidadão português, que sempre desejou ter uma casa com vista para o Tejo, descobriu finalmente umas águas-furtadas algures numa das colinas de Lisboa que cumpria essa condição. No entanto, uma das assoalhadas não tinha janela.

Falou então com um arquitecto amigo para que ele fizesse o projecto e o entregasse à câmara de Lisboa, para obter a respectiva autorização para a obra. O amigo dissuadiu-o logo: que demoraria bastantes meses ou mesmo anos a obter uma resposta e que, no final, ela seria negativa. No entanto, acrescentou, ele resolveria o problema.

Assim, numa sexta-feira ao fim da tarde, uma equipa de pedreiros entrou na referida casa, abriu a janela, colocou os vidros e pintou a fachada. O arquitecto tirou então fotos do exterior, onde se via a nova janela e endereçou um pedido à CML, solicitando que fosse permitido ao proprietário fechar a dita cuja janela.

Passado alguns meses, a resposta chegou e era avassaladora: invocando um extenso número de artigos dos mais diversos códigos, os serviços da câmara davam um rotundo não à pretensão do proprietário de fechar a dita cuja janela.

E assim, o dono da casa não só ganhou uma janela nova, como ficou com toda a argumentação jurídica para rebater alguém que, algum dia, se atreva a vir dizer-lhe que tem de fechar a janela! [....]


Nicolau Santos, in "Expresso online" [...]

COMO A DISSOLUÇÃO AFECTA OS SALÁRIOS DOS POBRES OPERÁRIOS DO PARLAMENTO


Como a dissolução vai afectar os salários dos deputados
O corte nos salários dos deputados deverá estender-se por quatro meses, até que os novos 230 deputados tomem posse.

A dissolução da Assembleia da República já na próxima quinta-feira vai implicar um corte no salário dos deputados. Em alguns casos, a redução pode mesmo superar os 40%. Isto porque com o termo da legislatura e o encerramento do Parlamento os deputados deixam de receber a maioria dos abonos, subsídios e ajudas de custo que normalmente recebem para realizar trabalho parlamentar ou junto do eleitorado.

O Diário Económico fez uma simulação média, que pode não se aplicar, por defeito, a todos os deputados, porque as remunerações variáveis que integram o vencimento dos deputados dependem da distância a que vivem do círculo eleitoral pelo qual foram eleito ou do número de viagens que façam ao estrangeiro, entre outras condicionantes. Isto é, o vencimento pode ser muito superior à simulação feita.

Actualmente, o vencimento bruto (antes de impostos) de um deputado é de 3.294,52 euros, já feitos os cortes decorrentes dos planos de austeridade. Em termos líquidos, descontados um pouco mais que mil euros, os deputados levam para casa 2.075,54 euros. Mas muitos dos 230 deputados chegam a ganhar o dobro ou, até, mais do triplo deste valor porque recebem subsídios mensais de deslocação, abonos de representação, ajudas de custo e outras verbas variáveis, que agora serão totalmente ou parcialmente retiradas com a dissolução do Parlamento.

Além dos 3.294,52 euros, um deputado (em termos de média), aufere ainda cerca de 330 euros por mês se estiver em exclusividade e mais 69,19 euros, se viver fora da Grande Lisboa (caso contrário recebe 23.05 euros), por cada dia em que marque presença no Parlamento, o que perfaz 1.522,18 euros em 22 dias úteis.

Recebe ainda um valor que ronda os 350 euros ao mês por deslocação em trabalho político e pouco mais de 133 euros por cada dia de viagem ao estrangeiro. A juntar a isto, há que fazer contas ainda às viagens pagas entre o Parlamento e a residência. No total, partindo do princípio que o deputado faz uma viagem de três dias ao estrangeiro num mês, o salário médio de um parlamentar pode ascender a quase seis mil euros mensais (5.897 euros). E ultrapassará mesmo os seis mil euros se se contarem os quilómetros pagos.

Mas até que novo Parlamento tome posse, o que deverá acontecer só depois de Agosto, a remuneração fixa passará a ser 3.294,52 euros, a não ser que estejam presentes um dia no Parlamento se a Comissão Permanente reunir ou numa comissão parlamentar (nesse caso ganham o abono de um dia), como disse ao Diário Económico fonte do gabinete da secretaria-geral da Assembleia da República: "As ajudas de custo a que os deputados têm direito por cada dia de presença continuam a ser abonadas quando tiver lugar a Comissão Permanente" (o órgão que reúne esporadicamente no período de férias ou em caso de dissolução da Assembleia).

Por definir está ainda se os deputados com funções específicas continuam a receber o valor correspondente a despesas de representação. É o caso do Presidente da Assembleia da República, que recebe (além do salário de 5.799,05 euros e dos subsídios e ajuda de custo) uma verba de 2.370,07 euros, dos vice-presidentes e dos membros do Conselho de Administração (925 euros) e dos presidentes das comissões parlamentares (555,49 euros).

"Sei que o corte no salário é substancial mas não sei se inclui as despesas de representação", disse ao Diário Económico o deputado Osvaldo de Castro, presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais. Vitalino Canas, que preside à Comissão dos Assuntos Europeus acredita que não: "Apesar da dissolução, o presidente da Assembleia da República continua a ser presidente da Assembleia da República e os presidentes das comissões continuam a ser presidentes das comissões, até porque, no meu caso, a Comissão dos Assuntos Europeus vai ter que reunir nos próximos tempos". A secretaria geral do Parlamento não esclareceu se as despesas de representação serão ou não pagas mas o entendimento geral, apurou o Diário Económico, é de que os deputados com estas funções continuarão a recebê-las.

O corte no salário dos deputados, que, segundo aquela simulação média, pode chegar e até superar os 40%, deverá estender-se por quatro meses até que os novos 230 deputados saídos das eleições legislativas de 5 de Junho tomem posse. Até lá, a Assembleia está dissolvida, apenas reunindo a Comissão Permanente quando para tal for convocada, e nela não terão assento todos os deputados. Estão previstas pontualmente reuniões da Comissão de Ética e da Comissão dos Assuntos Constitucionais e a maioria dos deputados vê, assim, suspenso o seu trabalho parlamentar.

1. Vencimento base
O deputado recebe 50% do salário do Presidente da República. Actualmente, e depois dos cortes impostos pela crise, o vencimento é de 3.294,52 euros brutos, isto é, 2.075,54 líquidos.

2. Despesas de representação
É o Presidente da Assembleia da República quem recebe maior valor - 40% do seu vencimento, isto é 2.370 euros, seguido dos vice-presidentes (925 euros) e dos presidentes das comissões parlamentares (555,49 euros). Estes deputados com funções específicas deverão manter esta verba durante a dissolução. Os restantes deputados em exclusividade, que recebem 10% do vencimento, isto é pouco mais de 300 euros, deverão perdê-la.

3. Abono de presença
Os deputados que vivem fora da Grande Lisboa recebem ainda um abono de 69,19 euros por cada dia que se desloquem ao Parlamento. Os que vivem dentro da Grande Lisboa recebem 23,05 euros ao dia. No primeiro caso, se forem à Assembleia da República nos 22 dias úteis recebem a mais no salário 1.522 euros. Se viajarem para o estrangeiro recebem ainda 133,66 euros ao dia para ajudas de custo e auferem ainda 376,32 euros ao mês pelo trabalho político realizado no território nacional. A estes valores variáveis acresce ainda o pagamento de quilómetros pela viagem da residência ao Parlamento ou caso se desloquem ao círculo eleitoral por onde foram eleitos e não residam lá.

Inês David Bastos, in Económico, 04/04/2011




O ACORDO ORTOGRÁFICO



Um cê a mais

Quando eu escrevo a palavra ação, por magia ou pirraça, o computador retira automaticamente o C na pretensão de me ensinar a nova grafia.

De forma que, aos poucos, sem precisar de ajuda, eu próprio vou tirando as consoantes que, ao que parece, estavam a mais na língua portuguesa.

Custa-me despedir-me daquelas letras que tanto fizeram por mim.

São muitos anos de convívio.

Lembro-me da forma discreta e silenciosa como todos estes CCC,s e PPP,s me acompanharam em tantos textos e livros desde a infância.

Na primária, por vezes gritavam ofendidos na caneta vermelha da professora: não te esqueças de mim!

Com o tempo, fui-me habituando à sua existência muda, como quem diz, sei que não falas, mas ainda bem que estás aí.

E agora as palavras já nem parecem as mesmas.

O que é ser proativo?

Custa-me admitir que, de um dia para o outro, passei a trabalhar numa redação, que há espectadores nos espetáculos e alguns também nos frangos, que os atores atuam e que, ao segundo ato, eu ato os meus sapatos.

Depois há os intrusos, sobretudo o R, que tornou algumas palavras arrevesadas e arranhadas, como neorrealismo ou autorretrato.

Caíram hifenes e entraram RRR,s que andavam errantes.

É uma união de facto, e para não errar tenho a obrigação de os acolher como se fossem família. Em 'há de' há um divórcio, não vale a pena criar uma linha entre eles, porque já não se entendem.

Em veem e leem, por uma questão de fraternidade, os EEE,s passaram a ser gémeos, nenhum usa ( ^^^) chapéu.

E os meses perderam importância e dignidade; não havia motivo para terem privilégios; assim, temos janeiro, fevereiro, março, são tão importantes como peixe, flor, avião.

Não sei se estou a ser suscetível, mas sem P, algumas palavras são uma autêntica deceção, mas por outro lado é ótimo que já não tenham.

As palavras transformam-nos.

Como um menino que muda de escola, sei que vou ter saudades, mas é tempo de crescer e encontrar novos amigos.

Sei que tudo vai correr bem, espero que a ausência do C não me faça perder a direção, nem me fracione, e nem quero tropeçar em algum objeto.

Porque, verdade seja dita, hoje em dia, não se pode ser atual nem atuante com um C a atrapalhar.

Só não percebo porque é que temos que ser NÓS a alterar a escrita, se a LÍNGUA é NOSSA ? ! ? ! ?

E como não percebo continuo a escrever tal como aprendi... ninguém me pediu opinião...

Autor desconhecido


COMO CAVACO SILVA CONTRIBUI PARA O DÉFICE PORTUGUÊS


É PRECISO NÃO ESQUECER O QUE O EX- MINISTRO DAS FINANÇAS, EX-PRIMEIRO MINISTRO, EX-CHEFE DO PSD GASTA AOS CONTRIBUINTES PORTUGUESES:


45 mil euros por dia para a Presidência da República.


A Presidência da República custa 16 milhões de euros por ano (163 vezes mais do que custava Ramalho eanes), ou seja, 1,5 euros a cada português. Dinheiro que, para além de pagar o salário de Cavaco, sustenta ainda os seus 12 assessores e 24 consultores, bem como o restante pessoal que garante o funcionamento da Presidência da República.


A juntar a estas despesas, há ainda cerca de um milhão de euros de dinheiro dos contribuintes que todos os anos serve para pagar pensões e benefícios aos antigos presidentes.


Os 16 milhões de euros que são gastos anualmente pela Presidência da República colocam Cavaco Silva entre os chefes de Estado que mais gastam em toda a Europa, gastando o dobro do Rei Juan Carlos de Espanha (oito milhões de euros) e sendo apenas ultrapassado pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy (112 milhões de euros) e pela Rainha de Inglaterra, Isabel II, que custa 46,6 milhões de euros anuais.



PS: Tomando o exemplo de Espanha, é caso para perguntar se não ficaria mais barato Portugal aderir à monarquia. É que Cavaco, que ninguém sabe onde pára em toda esta crise, desapareceu, não passa de um símbolo que brilha menos que o defunto Américo Tomaz do salazarento regime. Tomaz, conhecido pelo "corta-fitas", pelo menos ainda aparecia, fazendo umas inaugurações e lendo uns pobres discursos para animar as "tropas". Com tantos assessores será que nem isso Cavaco sabe fazer: animar as tropas?


36 assessores para umas "charlas" sem sal no Facebook?



Até D. Duarte Nuno, o candidato ao trono português faria melhor por me parecer mais expedito.

E mais barato, como prova o rei de Espanha.

AOC

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Pink Floyd - Another Brick in the Wall

NINGUÉM ESCUTOU A VERDADE!

Santuário do Bom Jesus em Braga e Senhora do Sameiro

A OPINIÃO DE JAQUES AMAURY SOBRE AS RAZÕES DA CRISE EM PORTUGAL

(CAVACO, HOJE PRESIDENTE, O PAI DO MONSTRO DO DÉFICE)




VALE A PENA VER ESTE OLHAR DE FORA.

Este conhecido sociólogo e filosofo francês, Jaques Amaury, professor na Universidade de Estrasburgo, publicou recentemente um estudo sobre "A crise Portuguesa", onde elenca alguns caminhos, tendentes a solucioná-la.

"Portugal atravessa um dos momentos mais difíceis da sua história que terá que resolver com urgência, sob o perigo de deflagrar crescentes tensões e consequentes convulsões sociais.

Importa em primeiro lugar averiguar as causas. Devem - se sobretudo à má aplicação dos dinheiros emprestados pela CE para o esforço de adesão e adaptação às exigências da união.

Foi o país onde mais a CE investiu "per capita" e o que menos proveito retirou. Não se actualizou, não melhorou as classes laborais, regrediu na qualidade da educação, vendeu ou privatizou a esmo actividades primordiais e património que poderiam hoje ser um sustentáculo.

Os dinheiros foram encaminhados para auto estradas, estádios de futebol, constituição de centenas de instituições publico - privadas, fundações e institutos, de duvidosa utilidade, auxílios financeiros a empresas que os reverteram em seu exclusivo benefício, pagamento a agricultores para deixarem os campos e aos pescadores para venderem as embarcações, apoios
estrategicamente endereçados a elementos ou a próximos deles, nos principais partidos, elevados vencimentos nas classes superiores da administração publica, o tácito desinteresse da Justiça, frente à corrupção galopante e um desinteresse quase total das Finanças no que respeita à cobrança na riqueza, na Banca, na especulação, nos grandes negócios, desenvolvendo, em contrário, uma atenção especialmente persecutória junto dos pequenos comerciantes e população mais pobre.

(
CARTROGA, MINISTRO DE CAVACO SILVA AGORA CANDIDATO A MINISTRO DE COELHO...... LIVRAI-NOS DO MAL, SENHOR DEUS. AMÉN!)


A política lusa é um campo escorregadio onde os mais hábeis e corajosos penetram, já que os partidos cada vez mais desacreditados, funcionam essencialmente como agências de emprego que admitem os mais corruptos e incapazes, permitindo
que com as alterações governativas permaneçam, transformando - se num enorme peso bruto e parasitário. Assim, a monstruosa Função Pública, ao lado da classe dos professores, assessoradas por sindicatos aguerridos, de umas Forças Armadas dispendiosas e caducas, tornaram - se não uma solução, mas um factor de peso nos problemas do país.

Não existe partido de centro já que as diferenças são apenas de retórica, entre o PS (Partido Socialista)




(SÓCRATES, O CONTADOR DE HISTÓRIAS FANFARRÃO)



que está no Governo e o PSD (Partido Social Democrata), de direita, agora mais conservador ainda, com a inclusão de um novo líder, que tem um suporte estratégico no PR e no tecido empresarial abastado.
Mais à direita, o CDS (Partido Popular),
(OS SUBMARINOS DE PORTAS SÃO RESPONSÁVEIS PELO DÉFICE)

as TVs as Rádios e os Jornais, são na sua totalidade, pertença de privados ligados à alta finança, à industria e comercio, à banca e com infiltrações accionistas de vários países.

Ora, é bem de ver que com este caldo, não se pode cozinhar uma alimentação saudável, mas apenas os pratos que o "chefe" recomenda. Daí a estagnação que tem sido cómoda para a crescente distância entre ricos e pobres.

A RTP, a estação que agora engloba a Rádio e Tv oficiais, está dominada por elementos dos dois partidos principais, com notório assento dos sociais democratas, especialistas em silenciar posições esclarecedoras e calar quem levanta o mínimo problema ou dúvida. A selecção dos gestores, dos directores e dos principais jornalistas é feita exclusivamente por via partidária.
Os jovens jornalistas, são condicionados pelos problemas já descritos e ainda pelos contratos a prazo determinantes para o posto de trabalho enquanto, o afastamento dos jornalistas seniores, a quem é mais difícil formatar o processo a pôr em prática, está a chegar ao fim. A deserção destes, foi notória.

Não há um único meio ao alcance das pessoas mais esclarecidas e por isso, "non gratas" pelo establishment, onde possam dar luz a novas ideias e à realidade do seu país, envolto no conveniente manto diáfano que apenas deixa ver os vendedores de ideias
já feitas e as cenas recomendáveis para a manutenção da sensação de liberdade e da prática da apregoada democracia.

Só uma comunicação não vendida e alienante, pode ajudar a população, a fugir da banca, o cancro endémico de que padece, a exigir uma justiça mais célere e justa, umas finanças atentas e cumpridoras, enfim, a ganhar consciência e lucidez sobre os seus desígnios.


Quanto à responsabilidade de muito do que aqui é dito, acha-se expresso na opinião do ex-Ministro das Finanças de Cavaco Silva, Miguel Cadilhe, em grande entrevista dada ao "Expresso" em 2004, em que lhe chamou o "pai do monstro"!




GOSTO DE PALAVRÕES-Texto de Mestre Miguel Esteves Cardoso!



«Se há palavras realmente repugnantes são as decentes.» «É pior falar mau português do que falar mal em bom português»... «E, para obscenidade, já basta a vida em si.» O Largo de São Carlos serve de palco.

BEATO JOÃO PAULO II

FESTIVAL DA CANÇÃO E OS HOMENS DA LUTA: Portugal 2011: Interview with Homens da Luta


The Struggle Men from Portugal are Homens da Luta who gave a fantastic Press Conference at the Eurovision Song Contest 2011. See parts of it in this clip but the second part of the Press Conference …

ANGOLA,RAID AO KWANZA-SUL



5º Raid Kwanza Sul - parte 1 [HQ]‏


Amigo(a)s,

Vejam ou revejam as paisagens, os caminhos e as gentes de Angola. Por voltas dos 2' 20" lá está o nosso ex-colega da ECVF, Elísio Oliveira, feliz (salta aos olhos) por estar ali, a explicar como se avalia uma boa fuba. Asseguro-vos que vale a pena ver este documentário.

Um abraço
OP

http://www.facebook.com/video/video.php?v=1568487128823&oid=108412762523825&

UM VIDEO PARA A FILÂNDIA E PARA O MUNDO:Portugalnomics: Ep. 1

A FILÂNDIA E PORTUGAL




Em 1940 foi Portugal que ajudou a Finlândia






A propósito de um partido finlandês se recusar a financiar a ajuda a Portugal o DN foi vasculhar os arquivos: O DN publicou a 21 de Abril de 1940 um "bem haja" da Finlândia aos portugueses. Enviada pelo representante em Lisboa desse país nórdico, a nota diplomática agradece a Portugal a ajuda, tanto em víveres como em agasalhos, durante a guerra russo-finlandesa do Inverno de 1940-1941. "Nunca poderá o povo finlandês esquecer a nobreza de tal atitude", podia ler-se no pequeno texto publicado no nosso jornal há mais de 70 anos.

A solidariedade com a Finlândia pode explicar-se pela aversão no Estado Novo a tudo o que fosse comunista, e era a União Soviética que estava a atacar o seu vizinho, e também pela simpatia natural do pequeno Portugal por outra pequena nação, sobretudo numa época em que as grandes potências mostravam toda a sua gula conquistadora. Mas o heroísmo dos finlandeses, que evitaram que Estaline os integrasse na União Soviética quando pouco antes se tinham libertado do império czarista, emocionou a sério muitos portugueses bem-intencionados.

Hoje boa parte da opinião pública finlandesa mostra não estar nada emocionada com a crise que afecta os portugueses. E se depender de vários partidos, alguns dos quais podem chegar ao Governo nas legislativas de hoje, não haverá solidariedade com Portugal. A ideia é mesmo não participar no resgate da dívida portuguesa e quem o defende parece ganhar votos.
Portugal entrou na União Europeia em 1986, a Finlândia em 1995. Periféricos ambos, optaram por aderir ao euro, sendo os finlandeses os únicos nórdicos a fazê-lo. Tudo parecia indicar um partilhado entusiasmo pelo ideal europeísta. Hoje, nas urnas, veremos se assim é. E bem haja aos eleitores finlandeses que percebam que todos, mas sobretudo os pequenos, ficam a ganhar quando existe solidariedade entre os países da velha Europa.
(in dn abril 2011)
ed

MOÇAMBIQUE - MARRABENTA

video

OS RESPONSÁVEIS PELO DÉFICE

Em 35 anos de democracia, os políticos em vez de nos governarem governaram-se. Criaram leis que os ilibam nos casos de corrupção, morrendo solteira a culpa. Em nome dos "altos" serviços prestados à nação atribuiem-se chorudas reformas e benefícios escandalosos, como se não fosse esse o seu dever, e como se os restantes portugueses não desse a sua quota parte nesse esforço. Um dia destes revoltamo-nos contra estas "elites" de burlões e oportunistas:
"As pessoas precisam de entender que estão a ser burladas.
O País não pode continuar a ser dirigido por trafulhas... Dr.Medina Carreira."

video